Normas para berços e kits de berços

Recomendações dos órgãos que normatizam sobre segurança infantil, incluindo Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), Inmetro, ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) e também a Academia Americana de Pediatria (AAP) indicam o tipo de segurança que precisa existir em berços e kits de berços. As mães precisam estar cientes dessas recomendações e o porquê delas existirem para tomar suas próprias decisões e garantirem a segurança de seus bebês. As diretrizes são para a segurança do sono de crianças de até 1 ano de idade.

Nosso papel é tão somente informar e recomendar ou não a utilização de acessórios que, embora lindos, possam interferir na segurança dos pequenos.

É importante ressaltar que as sociedades de pediatria americana e brasileira, são contra o uso de kits de berço pelo risco que ele representa às crianças.

“Quanto menos coisa se coloca, mais seguro e saudável ele se torna”, afirma Alessandra Françóia, coordenadora nacional da ONG Criança Segura, que indica que o ideal é manter o berço livre.

MOTIVOS

1O principal motivo é o risco de sufocamento, já que a criança pode se mover dentro do berço, chegar muito próxima do acessório e sufocar-se, caso ele cubra total ou parcialmente seu rosto. É o mesmo motivo que cobertores, edredons, mantas, travesseiros, pelúcias e brinquedos também são contra indicados dentro de berços.

2Outro motivo é que a criança pode fazer o kit de “trampolim” para escalar e pular do berço, o que aumenta o risco de queda, que pode ser fatal.

 

3O terceiro motivo é que os kits e pelúcias são ótimos causadores de alergias e problemas respiratórios, já que tendem a juntar pó e ácaros.

 

Os pais acabam colocando os protetores por medo de que a criança prenda o braço ou os pés entre as grades, mas o ideal é que a distância entre as hastes da grade não permita isso. Importante lembrar que os lençóis do berço devem ser do tamanho exato, sem folgas e grandes sobras.

Os especialistas afirmam que os pais devem encarar o berço do bebê como um dispositivo de segurança e não como uma peça de mobília que precisa combinar com a decoração.

BERÇOS

No Brasil, a certificação de berços deve obedecer às normas técnicas da ABNT (NBR 15860) e do Inmetro (NBR 15860-1 e 15860-2).

As principais recomendações de segurança são:

– colocar o bebê para dormir de barriga para cima.
– assegurar-se que a cabeça do bebê esteja descoberta o tempo todo.
– não deixar nenhum objeto solto no berço (travesseiro, almofada, protetores, brinquedos de pelúcia, etc.). Eles podem causar risco de sufocação, asfixia e estrangulamento.

De acordo com o Inmetro:

– a segurança do berço começa pelas bordas e partes salientes, que devem ser arredondadas e isentas de quaisquer rebarbas e arestas. Além disso, os rótulos e decalques colados ao berço não podem estar situados nas superfícies internas das laterais e extremidades do berço, pois a criança pode retirá-los e colocá-los na boca.

– A madeira deve ser forte, estável e estar isenta de apodrecimento e ataque de insetos. As partes de metal, incluindo molas e parafusos, também devem ser resistentes e protegidas contra corrosão.

– Todos devem estar marcados com informações sobre razão social, nome ou marca registrada do fabricante, distribuidora ou varejista, e meios adicionais de identificação. O manual de instruções também é imprescindível.

– A pintura do berço não deve ser feita com tinta tóxica, ou seja, não pode conter chumbo.

– O berço não pode ter relevos muito altos: O bebê pode se bater e se machucar.

– As grades, que costumam poder ser reguladas em diferentes níveis de altura, precisam ter travas – e os pais não devem deixar as grandes completamente abaixadas em nenhuma hipótese.

– É ideal que o estrado debaixo do colchão seja uma única placa de madeira.

– Os pais devem lembrar que a posição mais baixa do estrado é a mais segura: caso o berço tenha regulagem de altura, assim que o bebê completa seis meses, é importante manter o estrado na posição mais baixa, com as grades sempre elevadas.

– As grades laterais devem ter, entre elas, um espaço entre elas de no máximo seis centímetros. Já a altura ideal das grades é de 60 centímetros.

– Protetores acolchoados de grades devem estar bem presos ao berço. A criança não pode conseguir passar braços ou pernas pelo espaço entre as grades, nem escalar o berço com a ajuda dos protetores.

– A posição mais baixa que a grade lateral deve ter em relação à superfície superior do estrado é de aproximadamente 23 centímetros.

– O colchão deve ser plano e sem possibilidade de deformações, e deve se ajustar ao berço perfeitamente. Não pode haver fresta alguma entre o berço e o colchão.

– O ideal é comprar todos os produtos que compõem o berço no mesmo lugar.

– A roupa de cama utilizada também deve estar bem firme, se prendendo ao colchão firmemente pelas laterais e pés.

– Os berços que tiverem rodinhas devem ter travas, impreterivelmente.

– Ainda, é importante que os berços não sejam colocados perto de janelas ou cortinas e os pais nunca deixem as grades abaixadas, mesmo com o bebê bem pequenininho.

– A criança não pode ser capaz de levantar a base do colchão ou do berço de dentro do próprio berço.

– Não pode haver nenhum móbile perto o suficiente para a criança conseguir se pendurar e subir – e, assim, cair do berço.

Nem todo equipamento destinado às crianças, desde o nascimento, oferece a segurança necessária. Assim, ao adquirir qualquer móvel infantil, os pais devem levar em consideração não a beleza e os acessórios, mas sim avaliar sua qualidade e se certificarem que seja seguro.

Para quem ainda não se convenceu:

Compre um protetor lateral de berços que evite que a criança passe pernas e braços pela grade, mas que permita que ela respire normalmente caso encoste o rosto nele. Como esse, encontrado no site da Amazon: BreathableBaby Breathable Mesh Crib Liner.

protetor de berço

Mas se depois de tudo, você ainda não se convenceu:

Um kit modelo padrão americano – mais fino e firme, o que diminui o risco de sufocamento – pode ser usado.

kit-berco-modelo-americano

Aqui você pode ler um relato de acidente com berço, envolvendo kits berço cheios de bichinhos e detalhes.

Você também pode ter mais informações importantes aqui.