Mamadeiras e Chupetas: Os vilões mais amados pelos pais desavisados

Também costumo chamá-los de lobos em forma de cordeiro. Mamadeiras e chupetas são prejudiciais às crianças, trazem problemas de fala, face, respiração, dentição, infecções e outros.

Quando introduzimos a mamadeira e a chupeta, o bebê ainda é muito pequeno e ele não faz escolhas.

“Poxa Márcia, você não está exagerando?” 

Não, não estou. Os bebês na maioria, cospem a chupeta, e nós insistimos em colocá-la de volta até ele não cuspir mais.

A chupeta é um consolo para nós, porque na maioria das vezes, não conseguimos ver nossos bebês choramingar, e por isso achamos que a chupeta acalma.

Lembre-se que seu bebê sabe poucas coisas e uma delas é chorar. Junto com isso, vem o peito que ele faz de chupeta, como dizem as mães.

Sim, é verdade, mas pense, ele se sente aconchegado e vai chorar para ficar nesse lugar quentinho, gostoso e que, se ele quiser, sai um líquido gostosinho. E ainda ouve umas batidas iguais quando ele estava na barriguinha da mamãe.

Mesmo assim vem o pensamento: “meu leite é fraco”, e a introdução da segunda vilã, a mamadeira, que provoca outros tantos problemas. É inevitável! E aí começa a via crúcis.

No final disso tudo, vem o grande problema: retirar tudo isso dos bebês. Aí vem a impaciência e aquilo que era cômodo se transforma em um problema sério.

Chega de chupeta!

O peito tem como função primária ser chupado pela boca do bebê. A natureza fez os mamíferos com tetas para alimentar seus filhotes. Enquanto a chupeta foi inventada para substituir a necessidade natural de sucção do bebê.

Eu me pergunto por que será que essa tal de “chupeitação” incomoda tanto as mães?

O problema é a conversa equivocada que acontece na cabeça dos pais: “meu bebê está me manipulando”. Fazem manha e se utilizam de artifício para conseguir tudo o que querem.

Bebês são criaturinhas sinceras. Eles pedem somente aquilo de que precisam. Se querem mamar é porque têm fome e querem ser saciados, seja de alimento ou de aconchego.

Seu bebê precisa de toque, carinho, afago e proteção. Quando um bebê quer peito, às vezes ele quer mãe. E o único jeito que ele sabe pedir a mamãe é chorando.

Se mesmo depois da barriguinha cheia ele continuar sugando, pode estar buscando somente amor, afeto e segurança.

É melhor que seu bebê se sinta seguro com você, ouvindo as batidas do seu coração e estabelecendo o vínculo entre mãe e filho? Ou mastigando um pedaço de plástico sem gosto?

Bebês não precisam de chupeta. E, mamães, você pode até não acreditar, mas as fases passam tão rápido, que você logo vai sentir saudade desses momentos.

O bebê, assim como não precisa de água, suquinho ou chá, também não precisa de chupeta.

O uso de chupeta acarreta mais prejuízos que benefícios para a criança.

Mamar no peito é muito importante para o desenvolvimento da mandíbula e demais ossos da face, dos músculos da mastigação, da oclusão dentária e da respiração de forma adequada.

Mas a sucção do bebê ao mamar no seio da mãe é completamente diferente de sugar o bico da chupeta.

A chupeta, nos corridos tempos modernos, acaba virando a salvação no fim do dia quando os pais estão cansados e não querem brincar e interagir com os bebês.

Mas você já pensou no tempo e no descanso que ganha quando fica deitadinha, quietinha, na cama, na rede, no sofá com o bebê no colo, aninhado e satisfeito, ao invés de entregar um “cala a boca para o bebê”?

O que fazer para evitar todo esse transtorno?

Em primeiro lugar, contratar um profissional qualificado para ajudar no primeiro momento, oferecendo todas as orientações para a amamentação. Isso facilitará consideravelmente.

Aleitamento materno exclusivo e com demanda espontânea. E não compre mamadeiras e chupetas.

Caso o problema já esteja instalado, contrate um profissional para ajudar na retirada de mamadeiras e chupetas.

Essa é a solução.